Artigos

HOME > ARTIGOS > Artigos,Destaque > Cientistas eliminam completamente HIV de animais pela primeira vez

Cientistas eliminam completamente HIV de animais pela primeira vez

É a primeira vez que cientistas conseguiram eliminar o vírus do HIV completamente em animais.

Os cientistas curaram animais vivos de HIV.

Usando um método de edição de genes chamado CRISPR, afirma um novo estudo.

O vírus permanece evasivo devido à sua capacidade de se esconder em reservatórios latentes.

Mas agora, em uma nova pesquisa publicada nesta semana, cientistas dos EUA mostraram que poderiam remover o DNA do HIV de células humanas implantadas em ratos – impedindo a infecção.

O caminho

É a primeira vez que cientistas conseguiram eliminar completamente em animais – preparando o caminho para um teste clínico humano.

O estudo da Escola de Medicina Lewis Katz na Universidade de Temple e da Universidade de Pittsburgh envolveu um modelo “humanizado”.

Em que os ratos foram transplantados com células imunes humanas e infectados com o vírus.

O novo trabalho, liderado pelo Dr. Wenhui Hu da LKSOM, baseia-se na pesquisa anterior da mesma equipe.

Na qual eles conseguiram remover o HIV-1 do genoma da maioria dos tecidos.

Um ano depois

Um ano depois, eles conseguiram eliminar o vírus de todos os tecidos.

“Nosso novo estudo é mais abrangente”, disse o Dr. Hu.

Confirmamos os dados do nosso trabalho anterior e melhoramos a eficiência da nossa estratégia de edição de genes.

Também mostramos que a estratégia é efetiva em dois modelos de ratos adicionais, um representando infecção aguda em células de rato e o outro representando infecção crônica ou latente em células humanas”.

A equipe testou três grupos de ratos. No primeiro, eles infectaram ratos com HIV-1.

No segundo, eles infectaram ratos com um caso grave de EcoHIV (o equivalente de ratos de HIV-1 humano).

O terceiro usou um modelo de rato “humanizado”, enxertado com células imunes humanas, que foi infectado com HIV-1.

A inativação do vírus

Tratando o primeiro grupo, eles conseguiram inativar geneticamente o HIV-1, reduzindo a expressão de ARN de genes virais em até 95%, confirmando seus achados anteriores.

O segundo grupo tem um desafio adicional: o vírus é mais propenso a se espalhar e se multiplicar vociferamente.

Durante a infecção aguda, o HIV replica ativamente”, explicou o Dr. Khalili.

Com os ratos com EcoHIV, fomos capazes de investigar a capacidade da estratégia CRISPR / Cas9 para bloquear a replicação viral e potencialmente prevenir a infecção sistêmica”.

Sua estratégia eliminou 96 por cento da EcoHIV dos camundongos.

Fornecendo a primeira evidência para a erradicação do HIV-1 com um sistema CRISPR / Cas9.

Finalmente, eles chegaram ao terceiro modelo animal: camundongos humanizados enxertados com células imunes humanas, incluindo células T, onde o HIV tende a se esconder.

Esses animais carregam HIV latente nos genomas das células T humanas, onde o vírus pode escapar da detecção”, explicou o Dr. Hu.

A remoção

Após um único tratamento com CRISPR / Cas9, os cientistas conseguiram remover completamente os fragmentos virais das células humanas infectadas latentemente, inseridas em tecidos e órgãos de ratos.

O novo estudo marca outro grande passo em frente na busca de uma cura permanente para a infecção por HIV.

O próximo estágio seria repetir o estudo em primatas, um modelo animal mais adequado, onde a infecção pelo HIV induz a doença, a fim de demonstrar ainda a eliminação do DNA do HIV-1 em células T infectadas latentemente e outros locais para HIV-1, incluindo células cerebrais“, disse o Dr. Khalili.

Link

blog comments powered by Disqus

Últimas novidades

Doug Bergeson estava trabalhando em sua casa quando acidentalmente atirou um prego no próprio peito

É a primeira vez que cientistas conseguiram eliminar o vírus do HIV completamente em animais. Os

A decisão de doar os órgãos da filha não foi fácil, mas ela e o marido sabiam da vontade da men

Você sabe o que é TRI? Teoria de Resposta ao Item?Uma das principais dúvidas dos alunos ao re

Já imaginou se você, sendo operado, simplesmente acorda no meio de uma cirurgia e escuta tudo o qu

Apelidado de “Idade das Trevas”, esse período medieval pode trazer soluções para um dos maior

Visite nossos outros projetos: