Uma Breve História da Anatomia Humana

Artigos

HOME > ARTIGOS > Artigos,Destaque > Uma Breve História da Anatomia Humana

Uma Breve História da Anatomia Humana

 

Ao te curvares com a rígida lâmina de teu bisturi sobre o cadáver desconhecido, lembra-te que este corpo nasceu do amor de duas almas, cresceu embalado pela fé e pela esperança daquela que em seu seio o agasalhou.

Sorriu e sonhou os mesmos sonhos das crianças e dos jovens.

Por certo amou e foi amado, esperou e acalentou um amanhã feliz e sentiu saudades dos outros que partiram.

scalpel

Agora jaz na fria lousa, sem que por ele se tivesse derramado uma lágrima sequer, sem que tivesse uma só prece.

Seu nome, só Deus sabe.

Mas o destino inexorável deu-lhe o poder e a grandeza de servir à humanidade. A humanidade que por ele passou indiferente

É com a “Oração ao Cadáver Desconhecido”  que começo este artigo maravilhoso.

Vamos viajar no tempo e perceber que a medicina batalhou bastante para chegar onde chegou.

E como conseguiu ser tão atualizada como é hoje em dia.

Os Primeiros Anatomistas

Os primeiros cientistas Anatomistas e Médicos foram os egípcios. Após vieram os Mesopotâmios (Melo, 1989).

A importância do médico que cuidava dos animais era tão grande para os Mesopotâmios, que o exercício da atividade ganhou destaque até no “código de Hamurabi”.

foto_anatomia_vintesete

Essa importância era devida aos cavalos, pois estes eram: o meio de transporte, máquina de guerra e moeda de escambo.

No século III A.C., o estudo da anatomia avançou consideravelmente na Alexandria.

Muitas descobertas lá realizadas podem ser atribuídas a Herófilo e Erasístrato.

foto_anatomia_dois

Herófilo da Calcedônia concretizou o desejo de muitos anatomistas ao dissecar o corpo humano.

E assim, desenvolveu um esquema de distribuição, formato e tamanho dos órgãos.

Ele descreveu o fígado, o cérebro, os órgãos sexuais.

Através dos seus estudos pioneiros nascia a Medicina.

foto_anatomia_cinco

O impulso à Anatomia

Já Erasístrato de Quios colaborador de Herófilo também dissecou cadáveres humanos.

Com isso, ele formou a Escola de Alexandria, a qual deu, a partir dali, impulso às ciências anatômicas.

A partir do ano 150 A..C. a dissecação humana foi de novo proibida por razões éticas e religiosas.

Parece que o estudo da anatomia humana, segundo Petrucelli (1997) e Wecker (2002), recomeçou mais por razões práticas que intelectuais.

foto_anatomia_doz

E o motivo mais importante para a dissecação humana, foi o desejo de saber a causa da morte por razões essencialmente médico-legais.

De averiguar o que havia matado uma pessoa importante ou elucidar a natureza da peste ou outra enfermidade infecciosa.

A Continuação

O conhecimento anatômico sobre o corpo humano continuou no mundo helenístico.

Porém só se conhecia através das dissecações em animais.

galeno

No século II D.C., Galeno, é considerado o primeiro anatomista do mundo, nunca abriu um cadáver de gente.

Mesmo tendo escrito um tratado que por séculos foi a bíblia da anatomia humana, só tinha experiência em dissecar porcos, macacos e outros animais.

galeno_dois

Aplicando depois os resultados obtidos na anatomia humana, quase sempre corretamente.

Contudo, alguns erros foram inevitáveis devido à impossibilidade de confirmar os achados em cadáveres humanos.

foto_anatomia

Galeno desenvolveu assim mesmo a doutrina da “causa final”.

Um sistema teológico que requeria que todos os achados confirmassem a fisiologia tal e qual ele a compreendia.

Como os Corpos eram Roubados

Os ladrões de túmulos invadiam os cemitérios, cavavam perto de um corpo havia sido enterrado a pouco tempo.

A localização da sepultura era descoberta por espiões que se infiltravam em enterros, até conseguir abrir a parte do caixão onde ficava a cabeça.

foto_anatomia_onze

Passavam então uma corda ao redor do pescoço e puxavam o corpo.

Retiravam toda a roupa, joias e o que mais houvesse de valor (para não correr os risco de serem presos).

Colocavam tudo de volta no caixão, cobriam com terra, punham o cadáver num saco e se dirigiam para a escola de medicina mais próxima.

foto_anatomia_treze

É a história desse período e o contato com as imagens de mais de 1200 desenhos anatômicos produzidos pelo próprio Leonardo da Vinci que tornam interessante o livro “Os Cadernos Anatômicos de Leonardo da Vinci” (Leonardo on the Human Body).

foto_anatomia_doze

Leonardo de ser Piero da Vinci era observador, cientista e inventor. Capaz de representar arte em anatomia (ou vice-versa).

Seu desenho mais famoso, o Homem Vitruviano.

É um estudo das proporções do corpo humano, ligando arte e ciência numa obra singular que representa o Humanismo Renascentista.

foto_anatomia_quatro

Homem Vitruviano

Leonardo da Vinci (1452-1519) foi o primeiro artista que considerou a anatomia além do ponto de vista meramente pictórico.

Fez preparações que logo desenhou, das quais são conservadas mais de 750, e representam o esqueleto, os músculos, os nervos e os vasos.

foto_anatomia_quatroze

As ilustrações foram completadas muitas vezes com anotações do tipo fisiológico.

A precisão de Leonardo é maior que a de Vesalio e sua beleza artística permanece inalterada.

Sua valorização correta da curvatura da coluna vertebral ficou esquecida durante mais de cem anos.

Representou corretamente a posição do fetus in útero e foi o primeiro a assinalar algumas estruturas anatômicas conhecidas.

foto_anatomia_desseseis

Só uns poucos contemporâneos viram seus folhetos que, sem dúvida, não foram publicados até o final do século passado.

leonardo_tres

Ele acreditava que a verdade anatômica na arte só poderia ser atingida na mesa de dissecação.

Os desenhos de Da Vinci evidenciam, não só a arte, mas também um profundo conhecimento anatômico.

Mostrando não apenas anatomia de superfície, mas grupos musculares perfeitos, como os músculos do dorso e membros superiores.

leonardo_dois

A osteologia também teve uma atenção toda especial nas dissecações de Da Vinci.

Como pode ser observado no livro “O Pensamento Vivo de Da Vinci”.

A comparação de imagens obtidas nos modernos aparelhos de tomografia computadorizada com seus desenhos sobre a anatomia oferece uma espécie de revelação.

leonardo

Leonardo acertou com exatidão espantosa, por exemplo, detalhes sobre a posição do feto no interior do útero antecipando imagens modernas.

Arte e Ciência

Da Vinci é a maior prova de que a arte e ciência caminham juntas de mãos dadas.

E na anatomia, o cadáver foi esse elo.

Segundo Freud, apud Teixeira, “Leonardo da Vinci acordou do sono da Idade Média antes dos outros homens”.

foto_anatomia_oito

A força e o dinamismo desmedidos do corpo humano atingiram seu ápice com Michelangelo Buonarotti.

Ele passou pelo menos vinte anos adquirindo conhecimentos anatômicos através das dissecações que praticava pessoalmente.

Sobretudo no convento de Santo Espírito de Florença.

miche_

Michelangelo também estudou o corpo humano a fundo.

E para isso, dissecou e desenhou até que a figura deixasse de ter quaisquer segredos.

Usava modelos vivos para capturar a realidade, sendo retratado em obras como: David uma obra-prima de anatomia.

david

A escultura de Moisés concluída em 1516, traz a estrutura de um ombro dissecado na perna do patriarca bíblico e as imagens do teto da Capela Sistina, que são imensas mas anatomicamente corretas.

A Dissecção como Desrespeito

Muita gente via a dissecção como um desrespeito ao morto e, por isso, muitas vezes elas eram feitas em segredo.

Leonardo Da Vinci, por exemplo, manteve as anotações de seus estudos anatômicos escondidas.

Os lugares eram tão seguros que elas só foram ser descobertas 300 anos depois.

foto_anatomia_tres

No Reino Unido, entre os séculos 16 e 17, as escolas de anatomia utilizavam em suas aulas corpos de criminosos condenados à forca.

Para os quais a dissecção era vista como punição adicional.

Além disso, a esses criminosos era negado funeral religioso.

E em certos casos eles não tinham funeral nenhum: seus esqueletos eram mantidos nas universidades e expostos ao público.

foto_anatomia_vinte

Isso não ajudou a melhorar a imagem do estudo de cadáveres. Pelo contrário, as pessoas tinham horror a imaginar os corpos de parentes sendo abertos em escolas de medicina.

A anatomia foi totalmente reformada por Andreas Vesalius, em seu livro “De humani corporis fabrica”.

vesalius

Andreas Vesalius

Vesalius fazia dissecções brilhantes, com 28 anos de idade.

Insistia que o conhecimento derivava da confiança nos exame de cadáveres, e não apenas de textos antigos.

Ele submeteu os antigos tratados anatômicos a um rigoroso teste: uma comparação com a observação direta do corpo dissecado.

foto_anatomia_nove

A Fábrica de Corpos Humanos tornou-se o texto fundador da anatomia moderna, e inspirou uma série de sucessores.

Como Vesalius, eles compararam seus resultados com os textos existentes, os erros foram corrigidos e produziu-se novos textos com ilustrações.

A produção de imagens baseado na dissecção tornou-se um componente central da anatomia científica.

O Reconhecimento da Anatomia

Entre 1680-1800, os anatomistas começaram expurgar elementos imaginativos da ilustração científica. O valor da verdadeira anatomia foi comprometido por metáforas visuais, paisagens fantásticas e poses.

foto_anatomia_quinze

Como as tecnologias de impressão foram aperfeiçoados, ilustrações anatômicas começaram a alcançar uma maior precisão técnica.

E uma estética hiper brilhante e sonhadora que exibiu.

Com grande arte, um conhecimento mais sofisticado e perceptivo mais aguçado das fronteiras e das superfícies do corpo.

foto_anatomia_seis

Finalmente, dois estilos de realismo anatômico surgiram.

Um teve como objetivo mostrar a realidade da dissecção de um órgão.

Com todas as estruturas e feiuras das mutilações anatômicas.

O outro uma realidade mais elevada, exibindo embelezamento, corpos idealizados e partes do corpo que flutuavam no ar.

Sem referência a qualquer dissecção.

foto_anatomia_vintetres

Nos dias de hoje, radiografia, fotografia, imagem digital e computacional multiplicaram as possibilidades de manipulação.

Artistas e cientistas estão, novamente, explorando e re-imaginando o corpo  e investigando os limites entre suas respectivas disciplinas.

Continuamos a sonhar o corpo anatômico.

anatomia

blog comments powered by Disqus

Últimas novidades

“Pai e filho sofrem um acidente terrível de carro. Alguém chama a ambulância, mas o pai não re

Parto está marcado para maio; “Ela pode mudar a vida de muitas pessoas”, diz mãe A americana

Sandra comemora a cirurgia e conta que já vê mudanças no dia a dia. "Parece que estou vivendo um

Frankielen, de 21 anos, foi mantida viva por 123 dias para salvar bebês. Órgão foi doado a Rafae

Frankielen da Silva Zampoli tinha 21 anos e estava grávida de gêmeos quando teve uma hemorragia ce

Mãe, mãe, quer ler comigo? É uma historinha. E tem figuras". "Desmaiada" em uma rede após hor

Visite nossos outros projetos: