Enem 2020 – O Guia para Aprovação em Medicina

Mariana Pacheco

Escrito por: Mariana Pacheco

Publicado em: 15/07/2020

Leia o guia completo para aprovação em Medicina no Enem 2020.

O Exame Nacional do Ensino Médio – Enem é a principal porta de entrada das principais universidades federais do Brasil. Neste guia, vamos ensinar o passo a passo de como estudar de maneira clara e eficiente para ser aprovado no curso de Medicina.

Passo a Passo da Aprovação em Medicina pelo Enem

  1. O que é o Enem?
  2. Sobre a prova do Enem?
  3. Como se inscrever no Enem?
  4. Como calcular a nota do Enem?
  5. O que estudar para o Enem?
  6. Enem impresso ou digital?
  7. Como organizar os estudos para o Enem?
  8. Como fazer um plano de estudos?
  9. Onde encontrar exercícios para o Enem?
  10. Como estudar matemática para o Enem?
  11. Como melhorar a nota no Enem?
  12. Onde estudar de graça para o Enem?
  13. O que estudar na véspera do Enem?
  14. Como controlar a ansiedade no Enem?
  15. O que é o SiSU – Sistema de Seleção Unificada?

1. O que é o Enem?

O Exame Nacional do Ensino Médio – é uma prova aplicada pelo INEP (órgão do Governo Federal do Brasil) que, atualmente, é a principal forma de ingresso nas universidades públicas brasileiras.

No entanto, apesar de ter sido criado em 1998, ele começa a ter relevância para o ingresso no Ensino Superior a partir de 2009. De lá pra cá, o Governo Federal passou a forçar que as universidades públicas (e muitas particulares) adotassem o processo como forma de ingresso.

A mudança

Apesar da resistência de diversas instituições, foi inevitável a adoção (quase que forçada) pelas universidades e principalmente pelos alunos que pretendem utilizar dos programas do governo PROUNI (responsável por oferecer bolsas integrais de estudo em instituições particulares) e o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil).

Aliás, enquanto a transição entre vestibulares tradicionais e o novo modelo de prova acontecia, muitos estudantes tinham a opção de escolher se faziam o Enem ou as provas tradicionais. A cada ano que passava, essa opção acabou se tornando mais escassa e as universidades que oferecem vestibular tradicional como opção passaram de regra para exceção.

No entanto, até o momento em que este post foi escrito, muitas instituições ainda oferecem vestibular tradicional como forma de ingresso, como é o caso da USP (Universidade de São Paulo), UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), UEMA (Universidade Estadual do Maranhão), entre outras.

2. Como funciona a prova do Enem?

A prova é aplicada em dois dias. No primeiro dia do exame, são aplicadas provas do Linguagens, Ciências Humanas e Redação, tendo duração de 5 horas e 30 minutos. No segundo dia, são as provas de Ciências da Natureza e Matemática com duração de 5 horas.

Assim, as provas do Enem, além da redação, são divididas em 4 áreas do conhecimento:

  • Linguagens, códigos e suas tecnologias, que abordam os componentes curriculares Língua Portuguesa, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Matemática e suas tecnologias, que aborda o componente curricular Matemática;
  • Ciências Humanas e suas tecnologias, que aborda os componentes curriculares História, Geografia, Filosofia e Sociologia;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias, que aborda os componentes curriculares Física, Química e Biologia.

Como dito anteriormente, a prova é aplicada em dois dias. São aplicadas 45 questões para cada área do conhecimento.

Diferente dos vestibulares tradicionais, a prova do Enem requer, além de conhecimento, que o aluno esteja treinado para superar o cansaço físico e mental na hora da prova, afinal de contas, são 5 horas e meia sentado fazendo prova.

3. Como se inscrever no Exame?

Como fazer a inscrição no Enem

As inscrições do Enem 2020 foram realizadas pelo site do Inep entre os dias 11 e 27 de maio.

O prazo para pagamento do boleto encerrou dia 10 de junho.

Por conta da pandemia do coronavírus, a realização do Enem, tanto da prova digital quanto da impressa, foi adiada.

O Inep abriu consulta pública para que os estudantes pudessem opinar sobre a melhor data para o Enem. Houve alguns comentários e pedidos na internet para que o processo seletivo fosse adiado para maio de 2021, mas nada disso foi confirmado pelo presidente do Inep.

Findado o prazo para votação da consulta pública, o que ficou decidido foi:

  • Versão impressa: dias 17 e 24 de janeiro de 2021
  • Versão digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021

4. Como calcular a nota do Enem?

A nota final é calculada utilizando um modelo matemático chamado TRI – Teoria de Resposta ao Item. Por isso, a nota final do Enem não apenas leva em consideração a soma simples da quantidade de acertos como também atribui um peso diferente para cada questão.

Para saber como calcular a nota do Enem, você deve entender um pouco sobre os aspectos que são levados em consideração para o cálculo da nota final.

Como funciona a TRI no Enem?

Gráfico de calculo para nota TRI do Enem

Diferente dos vestibulares tradicionais, que utilizavam a Teoria Clássica dos Testes (TCT) para calcular a nota final dos estudantes e que levavam em consideração apenas a soma dos acertos, a TRI traz uma novidade: o conceito de coerência pedagógica.

De maneira resumida, a coerência pedagógica sugere que para que o aluno resolva uma questão considerada difícil, ele deve saber resolver as questões consideradas fáceis e médias da prova. Caso isso não aconteça, o aluno tem a nota penalizada pela TRI por sugerir que ele “chutou” a questão difícil.

O Enem foi uma das primeiras provas no Brasil a utilizar a TRI como forma de calcular a nota dos alunos. Por esse motivo, no começo, houve uma grande discussão e desconfiança a respeito do tema.

Mesmo que ainda seja considerado, por muitos, um modelo estilo “caixa preta”, em que as pessoas não conseguem ter uma noção muito clara sobre o que de fato acontece para calcular a nota, aparentemente a nota utilizando TRI veio para ficar.

5. O que estudar para o Enem?

Você tem dúvida sobre o que estudar para o Enem? A dica é simples: comece pelos assuntos mais cobrados nas últimas edições. Faça uma análise sobre o seu conhecimento a respeito desses conteúdos e tenha-os como ponto de partida.

Essa dica é válida tanto para quem está começando agora quanto para quem estuda há muito tempo. Esteja você em janeiro ou faltando um mês para a prova, a dica é a mesma: comece pelo que mais cai.

Para isso, temos um material sensacional, com uma análise precisa, dividido por matéria, assuntos, tópicos e grau de dificuldade sobre os assuntos mais cobrados no Enem. Acesse agora!

6. Enem impresso ou digital?

Já falamos, detalhadamente, sobre as duas versões do Enem 2020. Mas falando diretamente com você que vai tentar uma vaga para Medicina neste ano: prefira a versão impressa da prova.

Por que estamos defendendo o Enem impresso? Como já falamos bastante por aqui, estratégia e plano de estudos são as melhores formas para nos prepararmos para qualquer processo seletivo. Tendo isso em mente, sobre estratégia de prova, estamos mais familiarizados com a versão impressa. É sobre ela as nossas informações em relação às características e ao modelo de prova que o Enem nos entrega todo ano.

Portanto, é mais seguro que continuemos com o que conhecemos. Após outras aplicações da prova na versão digital, você poderá, tranquilamente, optar por esse formato, uma vez que já teremos preparado para vocês um Guia para a aprovação no Enem Digital 😉

7.Como organizar os estudos?

É claro que todo mundo aqui quer garantir uma vaga para Medicina em um boa universidade, mas muitos não sabem por onde começar. Antes de qualquer coisa, é necessário que você conheça a prova do Enem. Depois de ter acessado os assuntos mais cobrados no Exame, você precisa avaliar como funciona a sua memória.

O que isso significa? De nada adianta estudar exaustivamente todos os assuntos e, no final, perceber que nem a metade do que você estudou ficou retido em sua memória.

Além de estudar com máxima concentração, você deve incluir em seu dia a dia o hábito de fazer revisões daquilo que já foi estudado. Caso seja necessário para você, faça revisões diárias para garantir que o que foi estudado seja retido.

Lembre-se: nem sempre quantidade é mais valioso do que qualidade.

Revise, revise e revise

Ah, é claro que para fazer uma boa revisão, você precisa ter feito um bom resumo do que foi estudado. Use e abuse de técnicas para produzir bons resumos. Isso vai facilitar o seu processo de revisão e, consequentemente, a retenção dos conteúdos que já foram estudados.

Uma dica para saber quais técnicas de resumo serão as melhores é você realizar uma autoanálise. O que seria isso? Avalie se você é um estudante visual, cinestésico ou auditivo.

Se você for um estudante visual, aqui vai algumas dicas: desenhe ou grife informações que você precisa lembrar, faça esquemas e use mapas mentais.

Para o estudante auditivo é interessante repetir conteúdos oralmente, gravar aulas e áudios de suas próprias anotações, criar associações de palavras para memorizar alguns conteúdos.

Já para os alunos cinestésicos, as dicas são: estudar em grupo, usar jogos ou outras ferramentas lúdicas para memorizar conteúdos, fazer mais intervalos durante o período de estudos.

8. Como fazer um plano de estudos para o Enem?

O melhor plano de estudos é aquele que melhor se adapta às suas características. Para começo de conversa, vamos diferenciar aqui cronograma de estudos e plano de estudos.

Um cronograma de estudos está relacionado com os assuntos que você precisa estudar para prova. Sabe quando você entra nos sites de cursos online e tem um “Cronograma de 15 – 20 – 40 semanas”? Aquilo é um cronograma de estudos.

Qualquer pessoa pode criar um cronograma. Para isso, basta abrir o edital, pegar os assuntos que são abordados na prova, dividi-los em semanas e pronto: seu cronograma está criado.

Vamos pensar em plano de estudos como a nossa estratégia. Associado ao plano de estudos, podemos ter perguntas como:

  • Qual matéria devo estudar mais?
  • Quais são minhas metas semanais?
  • Pode onde devo começar a estudar?
  • Quantas horas por dia tenho que estudar?
  • Quantas listas de exercícios devo resolver?
  • Por qual material devo estudar?

Como está claro, a tarefa de montar o plano é muito mais complexa do que o cronograma. Inclusive, o melhor cronograma para você é aquele que você irá montar após criar o seu plano de estudos.

Uma das perguntas mais frequentes que recebemos é: quantas horas devo estudar para passar em Medicina? A resposta para isso é simples e direta: depende.

Alguns fatores que influenciam para essa resposta são:

  • Qual sua capacidade de aprender as matérias?
  • Qual seu conhecimento sobre as matérias que caem na prova?

9. Onde encontrar exercícios para o Enem?

Estudar para o Enem não é o mesmo que estudar para outros vestibulares. Isso já ficou bem claro por aqui, né? Por que falamos tanto sobre isso? A prova do Enem apresenta um formato de questões bem diferente dos demais processos seletivos, por isso a importância de saber onde encontrar os exercícios certos para o Exame.

Você já sabe o que mais cai no Enem, então, preparamos para você os links com diversificadas listas de exercícios sobre todos os conteúdos que você precisa para passar para Medicina no Enem 2020. Comece a se preparar agora!

Escolha uma das matérias abaixo e acesse nossas listas de exercícios:

10. Como estudar matemática para o Enem?

Como já estamos há muitos anos em contato com estudantes que sonham em passar para Medicina pelo Enem, sabemos muito bem que uma das maiores dificuldades é sobre como estudar Matemática para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio.

Sabemos que, pelo menos, 50% da prova do Enem exige domínio sobre matemática básica, daí a importância de saber quais as melhores técnicas para estudar essa disciplina.

Matemática é prática!

O maior segredo para estudar corretamente para matemática é: pratique. Sim, teoria é muito importante, mas praticar tem e merece seu lugar especial aí no seu plano de estudos.

Uma dica valiosa: busque por exercícios resolvidos quando você for estudar. Isso fará com que você tenha em mãos comentários da resolução de um exercício que poderão te ajudar a resolver questões de níveis mais difíceis.

Pegando o gancho do que acabamos de falar, uma outra dica muito importante para aprimorar seus conhecimento em matemática é: comece estudando o básico. Nada de pegar a questão mais cabulosa da lista, nada de escolher a lista de nível mais alto logo de cara. Para algo ser consistente, começamos pela base.

Por que o básico?

O lance aqui é: além de realmente conhecer todos os processos necessários para resolução de questões de nível difícil, você estará se motivando a continuar com os estudos. Se você, logo de cara, escolhe uma questão difícil e erra, o mais provável é que você se sinta incapaz diante dessa disciplina, e nem eu nem você queremos isso.

E já que estamos falando de matemática para o Enem, e aqui não é como os outros vestibulares, outra dica muiiiito importante é: dê bastante atenção aos enunciados das questões. Interpretação de texto também é valiosíssima para matemática. Procure compreender os objetivos das questões, circule as palavras que são mais importantes para os comandos de resolução do problema matemático.

Comece agora mesmo! Clique aqui e escolha o melhor nível para dar continuidade aos seus estudos sobre matemática para o Enem.

11. Como melhorar a nota no Enem?

Como já falamos, o Enem faz uso do TRI. Portanto, devemos levá-lo em consideração ao pensarmos em como melhorar nossa nota no Exame Nacional do Ensino Médio.

Nossa primeira dica, então, é: dê prioridade para as questões fáceis. Acertar uma questão difícil e errar uma fácil pode acabar prejudicando a sua nota, por isso, tenha muita atenção ao que você vai priorizar e em como vai administrar o seu tempo durante a prova.

Finalmente, outro cuidado que você deve ter é: muita atenção à matemática e à redação do Enem. Essas são as disciplinas em que você pode acumular mais pontos. Não dê bobeira!

12. Onde estudar de graça para o Enem?

A internet, principalmente agora em tempos pandêmicos, tem sido de grande ajuda para quem precisa estudar. O EAD, que ainda andava um pouco tímido, tem nos apresentado diversas ferramentas para aprimorarmos o nosso acesso à educação.

Estudo em casa para o Enem
Dica para sua aprovação no Enem: foco e disciplina!

Seguindo um bom plano de estudos, com foco e disciplina, você pode ter a internet como forte aliada para alcançar a sua tão sonhada aprovação. Pensando nisso, listamos algumas indicações para você que quer estudar de graça para o Enem.

Unesp

Oferecidos de forma gratuita, os cursinhos da Unesp preparam os estudantes egressos da rede pública para o Enem e outros vestibulares. Além disso, são disponibilizados cadernos que trabalham conhecimentos associados às Matrizes de referência das áreas do conhecimento: Linguagens e seus códigos, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Inep

No site do Inep, você pode encontrar todas as provas e gabaritos de provas anteriores. Como já afirmamos por aqui, refazer provas anteriores é uma das melhores estratégias para se preparar para o Enem. Além disso, neste ano, o Inep trouxe uma novidade. Agora você pode acessar um material que, até o ano passado, era exclusivo para os avaliadores da prova redação.

YouTube Educação

Em parceria com a Fundação Lemann, a Google criou o canal YouTube Edu. Aqui você pode encontrar inúmeras videoaulas sobre variados conteúdos. Vale dar uma conferida!

FGV Ensino Médio

Com o objetivo de oferecer um material de qualidade, alinhado às necessidades de todos os envolvidos no ambiente escolar, a FGV Ensino Médio conta com professores extremamente qualificados e oferece testes e simulados exclusivos para todas as disciplinas. Cadastre-se agora mesmo!

TV Escola

Para além de conteúdos sobre o Enem, o TV Escola é uma iniciativa do Governo Federal para facilitar o acesso à educação de forma geral. O programa conta com transmissão na tv e um canal no YouTube. Aqui você pode acompanhar toda a programação da Hora do Enem.

Imaginie

Ainda que esta plataforma seja mais conhecida pelas correções de textos, no blog, além de ótimas dicas para redação nota mil, você pode encontrar materiais interessantes, de todas as disciplinas, para te ajudar nesta jornada.

Projeto Medicina

Sim, é isso mesmo, nós. A gente não ia ficar de fora dessa.
Aqui mesmo, neste site, você pode encontrar inúmeros materiais de estudo que não vão te abandonar neste momento tão decisivo.

Stoodi Portas Abertas

A plataforma Stoodi está disponibilizando todas as aulas gratuitamente em tempos de pandemia. Basta entrar no site do Stoodi, fazer seu cadastro e acessar todo conteúdo gratuitamente.

13. O que estudar na véspera do Enem?

Estudar ou não estudar na véspera do Enem? Isso gera bastante debate entre alguns professores. Mas a questão é: depende! Depende do quanto e de como esse estudo de véspera será feito.

Primeiramente, é claro que aquele estudar para aprender, de uma hora para outra, a matéria não vai funcionar. Já sabemos que seguindo um plano de estudos estrategicamente pensado, uma das etapas mais importantes é a da revisão.

Então, se você ainda não estudou aquela matéria e acha que vai aprender de um dia para o outra, sem revisá-la, não espere bons resultados. Isso, na verdade, vai te deixar mais estressado e cansado.

Porém, se você já estudou a matéria e está ali só querendo dar uma revisada para se sentir mais seguro, você está correto. Esse estudar na véspera será uma boa ajuda para manutenção do seu emocional.

Mas afinal, o que estudar antes da prova?

Procure revisar conteúdos e resolver exercícios, de provas anteriores, das áreas de conhecimento que você tem mais domínio. Tentar revisar temas que não o seu forte pode te deixar mais em pânico. E isso não é nada bom para quem está se preparando para fazer uma prova tão importante.

Além disso, outra coisa relevante de ser revisada – e que muitos deixam de lado e se atrapalham no dia do Exame – é: confirmar local de prova, verificar se os documentos estão todos ok, checar se as canetas estão funcionando bem e se são transparentes – como é orientado pelo Inep.

Isso tudo pode parecer pouco, mas você não vai querer ser o próximo meme do “atrasados do Enem”, não é mesmo? É melhor garantir o nome na lista de aprovados para Medicina do que ser famoso(a) por 15 minutos nas redes sociais.

Meme sobre atraso no Enem
Não seja um meme no Enem 2020.

14. Como controlar a ansiedade no dia da prova?

Ficar apreensivo(a) quando a prova está chegando é super normal. Não dá para negar que é um turbilhão de emoções que rondam quem vai prestar o Enem ou outros vestibulares. Mas podemos aliviar isso, o que vai contribuir, e muito, para que os seus resultados no Exame sejam melhores.

Antes de tudo, é bom lembrarmos que para controlarmos a nossa ansiedade é importante que sigamos alguns passos não só na véspera da prova. Organizar uma rotina, desde já, vai ajudar bastante.

Criar e seguir um plano de estudos estratégico, praticar exercícios físicos, ter momentos de lazer com família, amigos, sozinho(a). Tudo isso precisa fazer parte do seu dia a dia para que você consiga chegar mais equilibrado no dia da prova.

E dias antes da prova, o que fazer?

Uma das principais atitudes que você deve ter é evitar questionamentos improdutivos: qual será o tema da redação? Será que a prova vai ser mais difícil neste ano? Essas perguntas em nada vão ajudar, até porque são dúvidas que só serão sanadas depois que a prova for aplicada, então são completamente improdutivas para você.

Uma boa pergunta a se fazer é se tudo o que você precisa para fazer a prova já está pronto. Já sabe onde é o local de prova? Os documentos estão todos organizados?

Sobre ansiedade no Enem

E estudar antes da prova vai te deixar mais ansioso(a)? Como já falamos por aqui, o importante é focar numa revisão mais leve dos conteúdos que você mais domina. Estudar os temas mais difíceis só vai te deixar mais apreensivo(a), achando que não é capaz de fazer uma boa prova logo mais.

Além disso, é importante seguir uma rotina com menos horas de estudos, não crie horários insanos, virando noites. Procure ter noites mais bem dormidas.

Outra boa dica é tentar seguir com um alimentação mais saudável. Não falamos aqui de você se privar de nada, mas evite excessos e, se possível, tenha uma alimentação mais leve. E, claro, hidratem-se!

Por fim, o que não poderia faltar de forma alguma: converse sobre os seus medos e angústias em relação à prova. Seja com algum profissional, seja com alguém da sua família ou algum(a) amigo(a). Só não guarde as suas inquietudes só para você.

15. O que é o SiSU – Sistema de Seleção Unificada?

Iniciado em 2010, o SiSu é um sistema utilizado pelas universidades públicas de todo o país para ofertar vagas para quem participou do Enem.

O processo seletivo pelo Sistema de Seleção Unificada (SiSu) acontece duas vezes por ano. O candidato pode escolher até duas opções de curso e pode modificá-las durante o período de inscrições.

A nota de corte é calculada com base no número de vagas ofertado pela instituição e o número total de candidatos. Durante o período de inscrição, o sistema, diariamente, calcula e divulga a nota de corte aos candidatos.

Ampla concorrência

São vagas destinadas para qualquer candidato que tenha feito o Enem.

Lei de Cotas

A Lei de Cotas é uma ação obrigatória para todas as instituições que tenham se cadastrado no SiSu. São reservadas 50% das vagas, por curso, para alunos que tenham cursado todo o ensino médio em escolas públicas.

Quem pode concorrer pela Lei de Cotas

Como já afirmamos, a Lei de Cotas é para quem cursou todo o Ensino Médio em escolas públicas, mas há alguns outros critérios importantes:

  • Candidatos(as) com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a um salário mínimo
  • Autodeclarados(as) negros(as), pardos(as) ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio
  • Cotistas, independente da renda
  • Candidatos(as) cotistas autodeclarados(as) negros(as), pardos(as) ou indígenas, independente da renda

Ação afirmativa

Diferentemente da Lei de Cotas, as ações afirmativas não são obrigatórias, então vai depender da instituição aderir ou não ao processo. Esse programa consiste em reservar 5% das vagas oferecidas por ampla concorrência a candidatos(as) que comprovem deficiência ou pode ser aplicado a grupos discriminados e que sofrem com a expressiva exclusão social.

Segundo o Ministério da Educação, MEC, essa é uma medida que tem como objetivo eliminar as desigualdades e segregações, do passado ou do presente, a fim de que tenhamos uma composição mais diversificada em nossas universidades.

Mariana Pacheco

Letrista. Educadora e mestra nas redações. Aqui, no Projeto Medicina, produzindo uns conteúdos bão que te ajudarão neste universo dos vestibulares.


Leia também

Milhares de jovens estudantes brasileiros buscam a tão sonhada vaga no Curso de Medicina, seja pel

Sabe aquele momento quando você estava estudando sozinho(a) e surgiu aquela dúvida em uma questã

O Me Salva! é uma das maiores plataformas de estudo para quem está se preparando para o Enem. Mas

É fato que para tão sonhada aprovação, temos que estudar bastante. Entretanto, estudar por estu

O Exame Nacional do Ensino Médio - Enem é a principal porta de entrada das principais universidad

Muitos alunos me perguntam: qual o melhor curso online para passar em Medicina? Hoje vamos falar so